Follow by Email

terça-feira, 23 de agosto de 2011

VIVEMOS UMA GUERRA ARMADA NAS RUAS DE TODO O PAÍS!!!!



Bom, caros colegas, começo dizendo que o senhor engenheiro Daniel de Almeida de 70 anos está internado em estado grave num hospital Paulistano. Falo que, não é por sofrer de alguma doença hereditária ou adquirida, nem por moléstia contagiosa ou algo assim. Daniel não estava lutando pela vida no leito de um hospital por problemas de saúde. Infelizmente, ele é vítima de um mal social que atinge diretamente milhares de brasileiros e assusta todos os outros; é a violência. O engenheiro levou um tiro quando chegava em casa, onde a família dele era mantida refém por bandidos . Ele percebeu a movimentação e foi alvejado ainda dentro carro. Digo que o detalhe que dá a exata noção do tamanho da violência a que todos estamos expostos é de que bala que entrou pelas costas de Daniel, foi disparada de um fuzil, ok? Portanto, os pulhas, canalhas que atiraram num pai de família desarmado usaram calibre 556; para se ter uma ideia é o projetil usado pelos fuzis AR-15 e M-16, que equipam o exercito americano desde a Guerra do Vietnã, isso quer dizer que usa-se uma arma de guerra para assaltar uma casa, para render com ameaças pessoas idosas, mulheres e crianças e, se for o caso, atiram e matam esses idosos, mulheres e crianças. É uma coisa de arrepiar. E fica ainda mais aterradora por que a cada dia que passa parece que o arsenal da bandidagem fica mais e mais poderoso e devastador. Usa-se fuzis para assaltar residências, granadas para explodir caixas eletrônicos, metralhadoras para roubar carros, e por ai vai. O poder de fogo dos criminosos é tanto que muitas vezes rivaliza e até supera o da policia. Bom, a grande realidade é que ficou fácil para os criminosos conseguir armamento pesado. Falo que dias atrás a Policia Civil – SP desbaratou uma quadrilha que, entre outros delitos, lucrava com o aluguel de armas para outros bandos. Esses armeiros de crimes tinham 130 fuzis no catálogo e cobravam preços que aumentavam conforme o poder de fogo da arma. Um poderoso AK-47 Russo, por exemplo, custava até R$ 800,00 o aluguel por dia. Ok? Ele era o preferido por quadrilhas especializadas em roubo de carga, mas hoje em dia, parece, está sendo usado até em roubo a botequins e mercearias de bairro. O fato é que a oferta desse tipo de armamento é abundante em qualquer cidade brasileira,. Agora mesmo, no Rio de Janeiro uma CPI da Assembleia Fluminense presidida pelo deputado Marcelo Freixo quer descobrir e tentar coibir que traficantes, milicianos, e outros bandidos desfilem alegremente a luz do dia com fuzis, metralhadoras e pistolas de grosso calibre, apesar do aumento de apreensões desse tipo de armas no Estado nos últimos meses. O fato é que todos sabemos que a maioria esmagadora dessas armas entram no pais e vão parar na mão dos bandidos. Digo que uma outra CPI da Câmara Federal, que investigou o trafico de armamento há quatro anos, concluiu que sete de cada dez armas contrabandeadas pelo o Brasil vêm do Paraguai;  o problema é que antes disso elas entram no país vizinho legalmente, vindas, vejam só, do Brasil!! Mais precisamente do Porto de Paranaguá, no Paraná, utilizando pelo Paraguai, que como se sabe, não tem mar, para receber produtos que importa de diversos lugares do mundo. E assim, chegam da Rússia caviar, vodca e fuzis AK-47, assim como desembarcam dos EUA instrumentos cirúrgicos, batatinhas chips e metralhadoras M-60. Do Paraná seguem em estradas Federais brasileiras até as importadoras do Paraguai. Tudo legal, tudo certinho e tudo nos conformes, ok? Concluo dizendo que, o problema é que refazem o caminho por “ baixo dos panos”, a custa de propinas e corrupção. São essas armas que alimentam o crime organizado e, já algum tempo , o desorganizado também. É por isso que não basta combater a ponta mais visível e barulhenta da violência. Atrás do covarde, pulha, que dispara um fuzil contra um pai de família, esta o bandido ainda mais perigoso; o verme perfumado de termo e gravata que age nas sombras dos gabinetes oficiais, que se aproveita das frestas da legislação, que corrompem em colunas de celebridades. Ok? Minha reflexão é que preciso combater os traficantes, as milícias, os grupos de extermínios, as quadrilhas especializadas em assaltar cargas, carros-fortes, bancos e caixas eletrônicos. Defino dizendo que, mas é preciso também combater, com rigor e força, os responsáveis por armar esses criminosos. Ou então corremos o risco de perder a guerra para o crime, ok?

Nenhum comentário:

Postar um comentário