Follow by Email

sexta-feira, 11 de abril de 2014

"Fabio Barbosa, presidente da Editora Abril, que edita Veja, foi conselheiro da Petrobras entre 2003 e 2011; ou seja, esteve lá durante a maior parte do tempo em que o Partido dos Trabalhadores Petrobras à ruína; neste mesmo período, em que a estatal fez as descobertas do pré-sal e passou a estar entre as maiores detentoras de reservas de petróleo do mundo, a companhia teria feito tudo errado, mas Barbosa não apontou nenhum problema; será que ele também afundará a editora dos Civita? (detalhe: a plataforma que afunda é a P-36, do governo FHC)

Brasil 247

Manchete de Veja desta semana: "Como o PT está afundando a Petrobras". Título corrigido: "Como o PT está e nosso chefe afundaram a Petrobras".
 
Sim, como se sabe, o executivo Fábio Barbosa, presidente da Abril, que edita Veja, foi conselheiro da Petrobras entre 2003, primeiro ano do governo Lula, até 2011, segundo ano do governo Dilma.

Nesse longo período, ele recebeu jetons, ganhou pontos no currículo e não há registros de votos divergentes da maioria do conselho. Barbosa, inclusive, votou a favor da compra da refinaria de Pasadena, no Texas, pela Petrobras.

Isso significa que se a Petrobras afundou na era Lula-Dilma, Barbosa é também co-responsável. Nos últimos dez anos, a empresa anunciou diversas descobertas do pré-sal e se tornou uma das maiores detentoras de reservas do mundo. Anunciou também um dos maiores programas de investimento da indústria petroleira e, no regime de partilha, tornou-se exploradora de Libra, o principal campo do pré-sal, em parceria com a Shell e duas empresas chinesas.

No entanto, segundo Veja, a Petrobras afundou, embora a lembrança mais próxima a essa
 imagem seja a da plataforma P-36, que, sim, afundou no governo FHC.

Impressionante é que depois de tantos problemas na Petrobras, Fábio Barbosa – co-responsável pelos desmandos, repita-se – continue presidente da Abril.

Será que ele não irá também afundar a editora dos Civita?'

Nenhum comentário:

Postar um comentário