Follow by Email

segunda-feira, 16 de junho de 2014

Quando a escola perde a crediblidade

                                                                               O que falta?

Falta formação...
Falta espaço físico...
Falta verba...
Falta envolvimento...
Falta interesse...
Enfim, no fim, falta um pouco de tudo.

Com o passar dos tempos tudo vai tomando outros rumos, mas os rumos da EDUCAÇÃO não foram tão bons.

Assistindo a um programa de variedades, ainda esta semana, deparei com um triste fato -  O SISTEMA POLÍTICO EDUCACIONAL PERDE SUA CREDIBILIDADE A CADA DIA QUE PASSA.

Há quem diga que é irreversível e outros que esse quadro pode ser mudado, mas não dizem se, para melhor ou pior.

A verdade é que tudo corre às soltas, o sistema fali e ninguém se posiciona.

Chegamos num tempo em que a ESCOLA seria o último lugar que um pai colocaria seu filho. Isso mesmo! Em entrevista, dada em rede nacional, uma família deu esta declaração e pontuando cada falha da nossa EDUCAÇÃO.

O ambiente escolar se deteriorou de tal forma que não sabemos mais qual é o papel de cada um dentro do ato de EDUCAR.

Revendo então a história da EDUCAÇÃO BRASILEIRA me vejo voltando à época em que os infantes eram educados por um professor dentro dos domínios dos lares e de tantos outros momentos da evolução da escola e de todas as reformas pelas quais passou.

A escola sempre foi uma caixa de ressonância da sociedade. Até um certo tempo ela acompanhava o contexto social, de uma certa forma e de acordo com os governos, hoje, com a GLOBALIZAÇÃO, o caos da sociedade é mostrado na ESCOLA, ou como queiram pensar, incorporou-se à escola. Como estamos num voo cego em relação à sociedade, me parece que a ESCOLA está a acompanhar todo esse caos... só pode ser isso.

É falando  e debatendo sobre isso que podemos fazer algo que transforme este quadro tão pernicioso.
Mas antes precisamos olhar para esta sociedade que prioriza a INFORMAÇÃO e não a FORMAÇÃO.

Creio que ao longo da minha vida de educadora, que foi quase 3 décadas, e assim como muitas outras centenas de milhares de educadores, tive a nítida consciência de que os governos se preocuparam em formar cidadãos que mantivessem o "status quo" e que em nenhum momento estiveram preocupados com educação de FATO, mas até então isto era controlado e meio que "IDEOLÓGICO", porém hoje vejo que a situação saiu do controle e os governantes não estão dando mais conta, devido a rapidez do processo de informação e informatização.

A escola precisa de um upgrade e os governos não acharam o caminho.

O caos foi instalado e há que se dar conta de exterminar as consequências imensas.

A verdade é que os SECRETÁRIOS DE EDUCAÇÃO, MINISTROS, não veem como a gente vê as informações na mídia.
Não querem deixar suas zonas de conforto.

Eu que sou educadora, vi na mídia outro dia, um desenvolvedor de software que só faltava fazer chover.
Então pergunto - por que não existem programas para EDUCAÇÃO neste país, implantados nas escolas, que facilitem e que tornem a escola um lugar real? 
O mundo hoje é informatizado e o ambiente escolar não está acompanhando a velocidade desta transformação.

Então falta sim a sincronicidade entre as políticas públicas educacionais, cada um dos seus setores, de suas esferas, pois os profissionais (professores, diretores, orientadores) que estão encontrando pedras pelo caminho tentam tirar uma a uma, dia após dia e, só não conseguem não por conta da formação profissional, mas por conta do descaso daqueles que se julgam dirigentes e nada dirigem...

Bem, façamos uma reflexão, uma análise concisa do que podemos fazer para melhorar as condições de formação educacional de nossas crianças, já que no final de tudo é preciso apresentar um DIPLOMA para alguém se efetivar no mercado formal de trabalho e abolir a expressão de que " A ESCOLA É UM MAL NECESSÁRIO"  e passar a ser "UM BEM IMPRESCINDÍVEL"

Nenhum comentário:

Postar um comentário