Follow by Email

quinta-feira, 16 de junho de 2011

GREVE DOS BOMBEIROS DO RIO DE JANEIRO

Eu como bombeiro achei infeliz da colocação do governador do Rio de Janeiro, perante aos bombeiros. Digo que ele não soube, junto à sua assessoria, abrir um dialogo sensato com os representantes dos bombeiros, para encontrar solução cabível para ambas as partes, evitando-se assim esta Greve , que resultou, aos olhos de todo o povo brasileiro, como a maior demonstração do “descaso” que o GOVERNO BRASILEIRO tem para com os servidores públicos.

A atitude do governador do Rio de Janeiro, de enviar o BOPE , a Policia Militar, e autorizar a investida de forma violenta, contra servidores públicos e seus familiares, foi uma atitude de despotismo. Cadê o pessoal dos “Direitos Humanos”, não vão falar nada!!! Eles só abrem a boca quando um “bandido”, “criminoso”, “assassino”, “estuprador” , é linchado ou apanha, ou é morto!!! Quando homens de bem, salvadores de vidas, servidores “essenciais” de proteção a sociedade, sofrem esse tipo de violência, existe silêncio, sem nenhuma manifestação!!!

Não é justo que pais de famílias, pessoas que necessitam sustento tanto como qualquer outro trabalhador, não tenham o “direito” de reivindicar um salário justo, onde eles possam ter a dignidade de deixar sua família numa situação tranqüila e poder servir ao público de uma forma digna e honesta.

Digo que foi desastroso e preconceituoso o Governador do Rio de Janeiro, Sergio Cabral, chamar nossos bombeiros grevistas, pais de famílias, de “delinqüentes”. Foi infeliz sua atitude de atribuir a greve como uma atitude política – eleitoreira!!!! Sr. Governador, sabemos que a briga, a reivindicação, de melhores salários para esses servidores já vem se arrastando há anos. Mas de governo para governo , sempre é o mesmo. O que custa analisar o pleito reivindicado, R$ 2.000,00 de salário , + condução , + protetor contra o sol para os salva-vidas (pois é essencial para a proteção – item essencial garantido pela Constituição Brasileira (A Constituição Federal assegura aos trabalhadores urbanos e rurais, dentre outros, o adicional de remuneração para as atividades penosas, insalubres ou perigosas, na forma da lei (art. 7º, XXIII) e a legislação trabalhista - "consideradas atividades ou operações insalubres aquelas que, por sua natureza, condições ou métodos de trabalho, exponham os empregados a agentes nocivos à saúde, acima dos limites de tolerância fixados em razão da natureza e da intensidade do agente e do tempo de exposição aos seus efeitos."

Vamos tomar vergonha BRASIL! É srs políticos, na hora de rejustar os salários dos senadores, deputados federais, estaduais, e lá vai “cascata”...... é muito “fácil”, é só fazer uma listinha para ver quanto querem e aprovar!!!! Mas aprovar um salário digno para quem serve a população, colocando sua vida em risco, o bombeiro civil é “vagabundo”, “manda prender”, “ chama de bandido”, Que país é esse!!!

O governo achou melhor deixar chegar ao ponto de ir a público, ir para a imprensa! Uma vergonha para o mundo inteiro ver!!! ACORDA BRASIL!!!

A Lei Militar proibi as greves, mas isto é uma verdadeira “Ditadura”, não é lei para um pais de “República Democrática” como é o nosso!! Vamos rever isso!!!

FICA AQUI MEU APOIO A TODA A FORMA JUSTA DE REINVIDINCAÇÃO, EM ESPECIAL AO QUE OS “ANJOS” DO POVO, NOSSOS BOMBEIROS, ESTÃO FAZENDO PARA OBTER DIGNAMENTE SEU SUSTENTO.





ADALBERTO E.S. ALVES 

Um comentário:

  1. Por que o ato dos bombeiros cria um precedente perigoso

    Os bombeiros assim como qualquer categoria têm o direito de pedir melhoria salarial, ocorre que por servirem junto com a PM, sob regime militar, lhes é vetado o direto à greve. Nos últimos dias o que tenho visto no Rio é um circo. Uma categoria que vem sendo “doutrinada” por políticos faz meses, chega ao ponto de rasgar sua lei militar, invadir um quartel, ocupar e inutilizar viaturas.
    Ora, isso é inadmissível em um estado de direito. Imaginemos se médicos decidem fazer greve, invadir hospitais, furar pneu das ambulâncias e trancar as portas; E se um dia policiais em greve ocuparem os presídios e ameaçarem soltar os presos? Não obstante, teríamos ainda a possibilidade de Soldados do exército em greve, colocarem tanques para obstruir vias. Pergunto: Onde a sociedade vai parar? É esse o precedente que a sociedade deseja abrir com os bombeiros?
    Para que não corramos esse risco há uma legislação militar que rege as FFA, Bombeiros e a PM. Independente de qualquer pleito salarial, ela tem de ser respeitada. No momento em que a sociedade permitir que essa lei seja ignorada, estará pondo em risco sua própria ordem.

    ResponderExcluir